Home
Portal Figueiro
Aldeia
Santa Eufêmia
Patrimonio
A Visitar
Ultimos Moinhos
Figuras
Album de Fotos
Multimedia
Noticias de Figueiró
Noticias do Concelho
Comunidades
Obras
Junta de Freguesia
Como Chegar
Hotelaria
Links
Arquivo
Contactos

 

Festa 2005 & Fotos antigas Festa 2006 Festa 2007

(Carregue para ver Album de Fotografias)

Santa Eufêmia

15 e 16 de Setembro

        A mártir Santa Eufemia, é uma santa muito adorada e venerada em Portugal, principalmente nesta região. São várias as freguesias com o seu nome ou com romarias em sua honra. Nos dias 15 e 16 de Setembro são inumeráveis as festas e arraiais que se realizam, para além de Portugal, em Espanha, Itália e Croácia, onde o seu corpo se encontra preservado na cidade de Rovinj.

      As festas de Figueiró, são das mais belas da região, atraindo centenas de forasteiros, que se juntam todos no mesmo espírito de fé, que fazem da procissão de velas no dia 15 à noite uma experiência única e muito comovente. Mas as festas começam dias antes com a realização de jogos e bailes e por essa altura a aldeia já parece uma colmeia em laboração, tudo tem de estar pronto e em condições, erguem-se os arcos iluminados, estendem-se as bandeirinhas coloridas, que emprestam à aldeia um visual muito agradável a quem a visita.    De vez em quando estoira um foguete no ar e ouve-se música pelos altifalantes, o cheiro dos biscoitos intensifica-se.

     Dia 15, fim de tarde, está quase na hora da banda chegar (noutros tempos eles dormiam na freguesia, em casa dos mordomos e mais tarde no Salão Paroquial), ao princípio da noite irão acompanhar a santa na procissão de velas que se realiza da Igreja até à Capela. Durante a noite e até de madrugada a maioria vai para o recinto de festas divertir-se ao som dos Grupos de Musica contratados para o efeito. Cerca da uma hora da manhã, é tempo para se admirar o já famoso fogo-de-artifício que faz deslumbrar todos os que assistem a este espectáculo. Entretanto, alguns passam a noite na capela a velar a Imagem da Santa, entoando cânticos e orações.

      Dia 16, começa bem cedo com a descarga da manhã, que dura cerca de 45 minutos a 1 hora, a lembrar que é dia de festa e muito preenchido, com a realização da missa  e a procissão com o desfile de quase todos os santos, engalanados a preceito. Segue-se outra descarga de foguetes que chega a demorar mais de uma hora; depois do almoço em família, vem a arrematação das Ofertas e a romaria das ovelhas. Entretanto, quem quer faz romaria em volta da capela.

      Mais uma vez os mordomos estão de parabéns. Nos dias seguintes, os mordomos nomeados para o próximo ano, vão ter de desmantelar, limpar e resguardar todo o material, para ser usado por muitos mais anos.

      Santa Eufêmia, a sua vida

    Esta mártir é considerada uma protectora da pele, principalmente das doenças más, dizem que é predilecta por flores, principalmente cravos. Muitas são as pessoas que se lhe ajoelham aos pés, fazendo promessas e que dizem ter sido ajudados nas suas dificuldades, só Deus sabe quantos milagres já foram efectuados por ela.

    Ela nasceu na Calcedónia, uma cidade perto de Constantinopla, numa família nobre e respeitável, foi criada nos ideais cristãos, que faziam dela um exemplo de virtude e beleza junto dos habitantes. Frequentou a escola, por isso nas suas imagens aparece com um manto de estudante (da época). Durante o reinado do Imperador Diocleciano, que proibia baptizados, ela foi acusada e tendo recusado a casar com um herói da cidade, foi presa com outros cristãos.
    Torturada de maneira cruel, onde era usada uma roda de moinho, sempre se manteve fiel à sua fé e manteve intacta a sua decisão de nunca trair a Deus. Entregaram-na aos leões, que acabaram por a matar, mas não danificaram o seu corpo ou a comeram, deitando-se a seu lado como que a protegê-la de mais sofrimentos. Era o dia 16 de Setembro do ano 304 AD, tinha ela somente 15 anos de idade.

      Os cristãos ficaram com o seu corpo, sendo este sido sepultado na Calcedónia, onde construíram uma igreja. Em 620, quando a cidade foi invadida e conquistada pelos Persas, mudaram o seu corpo, com medo se ser destruído, para Constantinopla, e depositado numa Igreja mandada construir pelo Imperador Constantino, em sua honra. Com a entrada no poder do Imperador Nicefor, que era contra símbolos religiosos, os cristãos ficaram com medo que ele remove-se o corpo de Sta. Eufémia.

      A lenda diz que numa noite de violenta tempestade o sarcófago de mármore desapareceu da cidade. Possivelmente, pescadores cristãos carregaram-no nos seus barcos, com a esperança de a transportar para um lugar seguro. Em Julho, 13 do ano 800, as pessoas de Rovinj, viram dar à costa, ondulando gentilmente nas águas, um sarcófago. Os sinos repicaram, as pessoas que se juntaram na praia tentaram retirá-lo da água, mas em vão, todos os esforços eram inúteis, até que apareceu uma criança com dois fracos bezerros e que para espanto de todos conseguiu remover o pesado sarcófago da água e o levou até à igreja local.

      Quando abriram o sarcófago, viram o corpo de uma rapariga muito bonita e que vestia um luxuoso vestido e junto dela, um pergaminho que dizia HOC EST CORPUS EUFEMIAE SANCTAE... (...este é o corpo de Santa Eufémia, virgem mártir da Calcedónia, filha de um nobre senador, nascida para o céu em Setembro 16, ano 304 AD...).

      O seu corpo continua preservado numa igreja na cidade de Rovinj, na actual Croácia, onde pode ser visitado.
 

Site optimizado para Internet Explorer 5+

Copyright © 2005 [Jose Ferreira]. All rights reserved. webmaster@figueirodaserra.com